Você acredita em predição do futuro? Isso já é realidade na TI!

O filme “Minority Report” mostra um futuro em que a polícia é capaz de investigar um homicídio e prender o assassino antes mesmo que o crime seja cometido. Embora tal possibilidade ainda seja apenas ficção científica, no universo da TI corporativa já é possível antever problemas e impedir falhas. A predição de problemas por meio do monitoramento remoto em tempo real de sistemas 24 x 7 já é uma tendência das empresas em todo o mundo.

Por quê é tão importante monitorar a TI?

Estudos mostram que, quando incidentes causam indisponibilidade das redes corporativas, como queda de energia, de roteador, da rede de fibra ótica, corte de cabo telefônico, etc., eles podem afetar toda a linha de produção de uma empresa e resultar em prejuízos financeiros. Uma grande empresa de telecomunicações norte-americana estimou um prejuízo de US$ 500 mil para cada minuto de “down time”, ou seja, tempo fora do ar.

As empresas em geral possuem recursos limitados para fazer esse tipo de monitoramento por conta própria. Equipes terceirizadas com profissionais especializados são uma alternativa bastante eficaz. É especialmente útil para pequenas e médias empresas, que não costumam ter departamentos de TI, ou para as muito grandes, para as quais administrar todo esse processo pode ser muito complexo. Cada vez mais empresas de TI oferecem sistemas que observam e produzem relatórios constantes sobre as tendências do desempenho dos sistemas.

E como funciona esse monitoramento?

Inicialmente, são instaladas ferramentas de coleta de dados em toda a infraestrutura de TI da empresa. Com isso, as equipes conseguem monitorar, em tempo real e de qualquer local, a saúde do ambiente de TI. Dessa forma os especialistas são capazes de apontar indícios de que defeitos estão prestes a ocorrer e quais são as medidas necessárias para evitá-las, como uma atualização ou mesmo a substituição de um componente.

(Roberto monitorando a saúde da TI dos clientes LIVTI) 

Um exemplo típico é a predição de que um HD do Servidor irá atingir o máximo de sua capacidade. Outro problema comumente evitado pelo monitoramento é o superaquecimento dos componentes. Ambos são incidentes simples, mas que se não forem antecipados e evitados, podem interromper a produção de uma empresa ou prejudicar um backup de dados. Por isso, através de um monitoramento eficiente é possível prevenir problemas em diversos níveis, como atendimento ao cliente, transações bancárias e comerciais, correio eletrônico, logística de transporte, etc.

O Brasil ainda está demorando a adquirir consciência da importância de se evitar o “down time”. Esse tipo de serviço preventivo continua sendo encarado como uma despesa, quando de fato é um diferencial que pode contribuir para aumentar a eficiência, competitividade e melhorar a imagem da empresa no mercado.

O que podemos esperar para o futuro?

Talvez até a realidade de “Minority Report” em breve não seja mais tão fantasiosa. Claro que não através de mutantes precognitivos, mas no Reino Unido já está em teste uma nova tecnologia de inteligência artificial chamada HART (sigla em inglês para “Ferramenta de Avaliação de Risco de Danos”), desenvolvida pela Universidade de Cambridge. O sistema coleta dados sobre criminosos recorrentes e calcula a possibilidade deles voltarem a cometer crimes, em três categorias: alta, média e baixa. Ou seja, o uso da tecnologia para prever possibilidades futuras está se espalhando rápido e para as mais diversas áreas!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *