WiFi para todos! A evolução das redes sem fio

As redes sem fio, também conhecidas como wireless ou simplesmente WiFi, podem ser consideradas o rádio da era digital. Nos dias de hoje já se pode acessar em quase qualquer lugar, com um aparelho que se leva no bolso. Claro que nunca foi preciso usar senha para escutar rádio, mas as redes públicas gratuitas são cada vez mais comuns.

 

 

E como a internet evoluiu das antigas redes discadas, que exigiam abrir mão do telefone (e faziam um barulhinho insuportável na hora do acesso), para o WiFi de hoje?

Na verdade, a comparação com o rádio não é mera analogia. Não seria possível existir as atuais redes sem fio antes do surgimento, há mais de um século, das ondas de rádio. Elas revolucionaram a comunicação ao possibilitar que sinais fossem transmitidos de um local para outro pelo ar, sem que fosse necessária uma extensa rede de fios ligando o ponto de transmissão ao de recepção. A descoberta das ondas eletromagnéticas foi fundamental tanto para a invenção do rádio quanto da televisão e, décadas depois, da internet.

 

PADRÃO DE ONDA

A primeira rede de transmissão de dados entre computadores sem fio data de 1970. Um grupo de pesquisadores da Universidade do Havaí, liderado por Norman Abramson, estabeleceu uma rede de sete computadores, conhecida como WLAN ALOHAnet – ‘WLAN” é a sigla em inglês para “rede de área local sem fio” e “aloha” é uma célebre expressão do Havaí usada tanto para dizer “oi” como “tchau”- A tecnologia utilizada foi a mesma do bom e velho rádio amador!

Mas foi em 1997 que ficou definido o padrão para redes sem fio que serve de referência até hoje, o IEEE (sigla para Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos) 802.11. Trata-se de uma série de padrões, tanto de transmissão quanto de codificação da rede. A principal característica desse padrão, adivinhem só, é a transmissão de sinais em forma de ondas! De lá para cá, diversas variações e aperfeiçoamentos desse padrão foram desenvolvidos. Outro sistema bastante utilizado é o Bluetooth, forma de transmissão mais simples e limitada. Conecta apenas poucos aparelhos a um servidor master.

 

REVOLUÇÃO DENTRO DA EVOLUÇÃO

O WiFi representa uma nova revolução dentro da onda de transformações gerada pela internet. Cada vez mais são disponibilizadas redes gratuitas em espaços públicos como praças, parques, bibliotecas e estações de metrôs. Com isso, amplia-se a inclusão digital e a democratização da informação.

O uso corporativo das redes WiFi também é crescente. Com as redes sem fio, basta o funcionário ter seu smartphone à mão que estará sempre em contato com a empresa, podendo resolver problemas e tomar decisões mesmo em deslocamento.

(Para melhor visualização da imagem, clique com o botão esquerdo e abra a imagem em uma nova guia)

 

Tecnologias ainda mais ágeis e revolucionárias estão em desenvolvimento. Um grupo da Universidade Rei Abdullah, na Arábia Saudita, teria criado uma nova forma de geração de luz branca, com maior eficiência energética, que permitiria a transferência de dados com 20 vezes mais rapidez. Trata-se de Comunicação pela Luz Visível (CLV), ou, em termos mais simples, WiFi a laser ou via ótica.

 

PROBLEMAS E SOLUÇÕES

Com todos esses avanços das redes sem fio, ainda há muitas queixas de queda ou fraqueza de sinal, baixa velocidade, entre outros problemas. Como vimos em outro artigo aqui no Blog, o down time, ou tempo fora do ar, pode trazer grandes prejuízos logísticos e financeiros. Há muitos fatores que podem interferir na constância, qualidade e velocidade do sinal de WiFi. Um problema comum do qual muitos não se dão conta, inclusive usuários corporativos, é a utilização de roteadores desatualizados.

Manutenções e atualizações constantes das redes, são cada vez mais importantes no mundo corporativo de hoje. A LIVTI realiza um monitoramento constante e ágil das redes, bancos de dados e servidores das empresas, para que elas operem com o máximo de eficiência possível.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *